O que é estrabismo?

O que é estrabismo?

O estrabismo caracteriza-se por um desequilíbrio na função dos músculos oculares, fazendo com que os dois olhos não fixem o mesmo ponto ou objeto ao mesmo tempo.

No estrabismo ocular, enquanto um dos olhos fixa um objeto o outro está desviado (desvio dos olhos). O desvio dos olhos pode ser permanente ou aparecer em determinados momentos. Este desvio pode ser pouco percetível (estrabismo leve) ou, então, ser mais acentuado causando neste caso, um claro desconforto ao doente por motivos estéticos, para além dos problemas de visão que todos os estrabismos acarretam.
Estrabismo – causas
No estrabismo, as causas podem ser diversas como veremos de seguida. São seis os músculos extraoculares em cada olho que controlam os movimentos dos globos oculares. Para focarmos ambos os olhos no mesmo objeto, todos os músculos dos olhos devem trabalhar de forma harmoniosa, cinérgica e síncrona.

O cérebro por via da imagem controla os movimentos destes músculos, através de impulsos nervosos de excitação e inibição, de forma que quando um músculo de um olho contrai o seu antagonista relaxa. Assim, doenças que afetem o cérebro, como tumores, acidentes vasculares cerebrais (AVC), paralisia cerebral (isquemia), hidrocefalia, Síndroma de Down e de Duane, prematuridade, viroses e traumas são acompanhadas frequentemente de estrabismo primários ou secundários.

O estrabismo em adultos é raro e os mais frequentes são os adquiridos, resultantes de traumatismos cranianos ou devido a problemas vasculares (tromboses).

Normalmente, a causa do estrabismo em adultos está relacionada com as seguintes doenças:
Botulismo;
Diabetes (estrabismo paralítico – vascular);
Síndrome de Guillain-Barré;
Perda de visão (cegueira);
Traumatismo cerebral.

No estrabismo, a existência de história familiar constitui um fator de risco para o problema (estrabismo hereditário).
Uma das causas de estrabismo pode ser a hipermetropia, especialmente em crianças, que é tratado com o uso de óculos.
A perda de visão provocada por qualquer doença, também pode causar estrabismo.

Estrabismo infantil

O estrabismo infantil é aquele que aparece no bebé, depois dos seis meses de vida. Se aparecer por volta dos 3 anos, a causa mais provável será um erro refrativo (hipermetropia) que se designa por estrabismo acomodativo. Ver mais em estrabismo acomodativo.
As causas do estrabismo infantil são na maioria dos casos desconhecidas. Em mais de metade dos casos do estrabismo em crianças, o problema está presente ao nascimento ou imediatamente a seguir (bebé). Este tipo de estrabismo, que está presente no bebé ao nascimento, designa-se por estrabismo congénito.
O estrabismo na infância, na maioria das vezes, está relacionado com o controlo muscular e não com a força muscular. Várias patologias podem estar relacionadas com o estrabismo infantil, nomeadamente, Paralisia cerebral, Síndrome de Apert, Rubéola congénita, Hemangioma palpebral (ambliopia), Trissomia 18, Síndrome de Noonan, Síndrome de Prader-Willi, Retinopatia da prematuridade, Retinoblastoma e Lesão cerebral traumática.

Estrabismo infantil – tratamento

O estrabismo infantil tem tratamento tal como outro tipo de estrabismo qualquer. Se o estrabismo for acomodativo, o tratamento passa pela correção do erro refrativo (hipermetropia) com óculos. Se for outro tipo de estrabismo, a correção deverá ser cirúrgica nos músculos extraoculares.

Estrabismo tem cura?

Numa larga maioria de casos, o estrabismo tem cura. A cura do estrabismo passa sempre por uma intervenção cirúrgica aos músculos extraoculares, exceto no estrabismo acomodativo em que a cura passa pela correção ótica (hipermetropia) com óculos ou lentes de contacto (correção de estrabismo).
Estrabismo – tratamento, correção
A primeira medida a ser tomada no que diz respeito ao tratamento do estrabismo em crianças (infantil) é a prescrição de óculos, caso haja necessidade. No estrabismo acomodativo, o tratamento passa pela correção do erro refrativo (hipermetropia) através da prescrição de óculos.

A ambliopia ou olho preguiçoso deve ser tratado o mais breve possível, colocando um oclusor sobre o olho com boa visão. Esta medida forçará o olho mais fraco a fixar os objetos e a estimular a visão.
Se os olhos estiverem desalinhados, pode ser necessário realizar uma intervenção cirúrgica aos músculos extraoculares. Em geral, a intervenção cirúrgica é realizada entre os 3 e os 6 anos de idade, consoante a escolha pelas teorias da escola Francesa ou Americana. O uso de óculos é independente da uma intervenção cirúrgica.
Nos adultos com estrabismo latente (forias), o uso de óculos, caso apresentem erro refrativo e exercícios de ortótica podem ser úteis na manutenção do alinhamento dos olhos.
As formas de estrabismo manifesto no adulto precisam de uma intervenção cirúrgica ocular para endireitar os olhos.

Tem algum desses sintomas? Agende sua consulta: